// Tutorial //

Como Instalar e Usar o Docker no CentOS 7

Published on August 22, 2019
Default avatar
By finid
Developer and author at DigitalOcean.
Português
Como Instalar e Usar o Docker no CentOS 7

Introdução

O Docker é um aplicativo que torna simples e fácil executar processos de aplicações em um container, que são como máquinas virtuais, apenas mais portáveis, mais fáceis de usar e mais dependentes do sistema operacional do host. Para uma introdução detalhada aos diferentes componentes de um container Docker, confira O Ecossistema do Docker: Uma Introdução aos Componentes Comuns.

Existem dois métodos para instalar o Docker no CentOS 7. Um método envolve instalá-lo em uma instalação existente do sistema operacional. O outro envolve lançar um servidor com uma ferramenta chamada Docker Machine que instala automaticamente o Docker nele.

Neste tutorial, você aprenderá a instalar e usar o Docker em uma instalação existente do CentOS 7.

Pré-requisitos

Nota: O Docker requer uma versão de 64 bits do CentOS 7, bem como uma versão do kernel igual ou maior que 3.10. O Droplet padrão do CentOS 7 de 64 bits atende a esses requisitos.

Todos os comandos neste tutorial devem ser executados como um usuário não-root. Se o acesso como root for requerido para o comando, ele será precedido pelo sudo. O guia de Configuração Inicial do Servidor com o CentOS 7 explica como adicionar usuários e fornecer a eles o acesso ao sudo.

Passo 1 — Instalando o Docker

O pacote de instalação do Docker disponível no repositório oficial do CentOS 7 pode não ser a versão mais recente. Para obter a versão mais recente e melhor, instale o Docker a partir do repositório oficial do Docker. Esta seção mostra como fazer exatamente isso.

Mas primeiro, vamos atualizar o banco de dados de pacotes:

  1. sudo yum check-update

Agora execute este comando. Ele adicionará o repositório oficial do Docker, baixará a versão mais recente do Docker e a instalará:

  1. curl -fsSL https://get.docker.com/ | sh

Após a conclusão da instalação, inicie o daemon do Docker:

  1. sudo systemctl start docker

Verifique se ele está em execução:

  1. sudo systemctl status docker

A saída deve ser semelhante à seguinte, mostrando que o serviço está ativo e em execução:

Output
● docker.service - Docker Application Container Engine Loaded: loaded (/lib/systemd/system/docker.service; enabled; vendor preset: enabled) Active: active (running) since Sun 2016-05-01 06:53:52 CDT; 1 weeks 3 days ago Docs: https://docs.docker.com Main PID: 749 (docker)

Por fim, certifique-se que ele vai iniciar em todas as reinicializações do servidor:

  1. sudo systemctl enable docker

A instalação do Docker agora oferece não apenas o serviço Docker (daemon), mas também o utilitário de linha de comando docker ou o cliente Docker. Vamos explorar como usar o comando docker mais adiante neste tutorial.

Passo 2 — Executando Comandos Docker Sem Sudo (Opcional)

Por padrão, executar o comando docker requer privilégios de root — isto é, você tem que prefixar o comando com sudo. Ele também pode ser executado por um usuário no grupo docker, que é criado automaticamente durante a instalação do Docker. Se você tentar executar o comando docker sem prefixá-lo com sudo ou sem estar no grupo docker, você obterá uma saída como esta:

Output
docker: Cannot connect to the Docker daemon. Is the docker daemon running on this host?. See 'docker run --help'.

Se você quiser evitar digitar sudo sempre que executar o comando docker, adicione seu nome de usuário ao grupo docker:

  1. sudo usermod -aG docker $(whoami)

Você precisará sair do Droplet e voltar como o mesmo usuário para ativar essa mudança.

Se você precisar adicionar um usuário ao grupo docker no qual você não está logado, declare este username explicitamente usando:

  1. sudo usermod -aG docker username

O restante deste artigo supõe que você esteja executando o comando docker como um usuário do grupo de usuários docker. Se você optar por não fazê-lo, por favor, prefixe os comandos com sudo.

Passo 3 — Usando o Comando Docker

Com o Docker instalado e funcionando, agora é a hora de se familiarizar com o utilitário de linha de comando. O uso do docker consiste em passar uma cadeia de opções e subcomandos seguidos por argumentos. A sintaxe assume este formato:

  1. docker [option] [command] [arguments]

Para ver todos os subcomandos disponíveis, digite:

  1. docker

A partir do Docker 1.11.1, a lista completa de subcomandos disponíveis inclui:

Output
attach Attach to a running container build Build an image from a Dockerfile commit Create a new image from a container's changes cp Copy files/folders between a container and the local filesystem create Create a new container diff Inspect changes on a container's filesystem events Get real time events from the server exec Run a command in a running container export Export a container's filesystem as a tar archive history Show the history of an image images List images import Import the contents from a tarball to create a filesystem image info Display system-wide information inspect Return low-level information on a container or image kill Kill a running container load Load an image from a tar archive or STDIN login Log in to a Docker registry logout Log out from a Docker registry logs Fetch the logs of a container network Manage Docker networks pause Pause all processes within a container port List port mappings or a specific mapping for the CONTAINER ps List containers pull Pull an image or a repository from a registry push Push an image or a repository to a registry rename Rename a container restart Restart a container rm Remove one or more containers rmi Remove one or more images run Run a command in a new container save Save one or more images to a tar archive search Search the Docker Hub for images start Start one or more stopped containers stats Display a live stream of container(s) resource usage statistics stop Stop a running container tag Tag an image into a repository top Display the running processes of a container unpause Unpause all processes within a container update Update configuration of one or more containers version Show the Docker version information volume Manage Docker volumes wait Block until a container stops, then print its exit code

Para visualizar as opções disponíveis para um comando específico, digite:

  1. docker subcomando-docker --help

Para visualizar informações de todo o sistema, use:

  1. docker info

Passo 4 — Trabalhando com Imagens Docker

Os containers Docker são executados a partir de imagens Docker. Por padrão, ele extrai essas imagens do Docker Hub, um registro Docker gerenciado pela Docker, a empresa por trás do projeto Docker. Qualquer pessoa pode criar e hospedar suas imagens no Docker Hub, de modo que a maioria das aplicações e distribuições Linux que você precisa para executar containers Docker tem imagens que estão hospedadas no Docker Hub.

Para verificar se você pode acessar e baixar imagens do Docker Hub, digite:

  1. docker run hello-world

A saída, que deve incluir o seguinte, deve indicar que o Docker está funcionando corretamente:

Output
Hello from Docker. This message shows that your installation appears to be working correctly. ...

Você pode procurar imagens disponíveis no Docker Hub usando o comando docker com o subcomando search. Por exemplo, para procurar a imagem do CentOS, digite:

  1. docker search centos

O script rastreará o Docker Hub e retornará uma listagem de todas as imagens cujo nome corresponde à string de pesquisa. Nesse caso, a saída será semelhante a esta:

Output
NAME DESCRIPTION STARS OFFICIAL AUTOMATED centos The official build of CentOS. 2224 [OK] jdeathe/centos-ssh CentOS-6 6.7 x86_64 / CentOS-7 7.2.1511 x8... 22 [OK] jdeathe/centos-ssh-apache-php CentOS-6 6.7 x86_64 / Apache / PHP / PHP M... 17 [OK] million12/centos-supervisor Base CentOS-7 with supervisord launcher, h... 11 [OK] nimmis/java-centos This is docker images of CentOS 7 with dif... 10 [OK] torusware/speedus-centos Always updated official CentOS docker imag... 8 [OK] nickistre/centos-lamp LAMP on centos setup 3 [OK] ...

Na coluna OFFICIAL, o OK indica uma imagem criada e suportada pela empresa por trás do projeto. Depois de identificar a imagem que você gostaria de usar, você pode fazer o download dela para o seu computador usando o subcomando pull, assim:

  1. docker pull centos

Depois que uma imagem foi baixada, você pode então executar um container usando a imagem baixada com o subcomando run. Se uma imagem não tiver sido baixada quando o docker for executado com o subcomando run, o cliente do Docker primeiro fará o download da imagem e, em seguida, executará um container usando-a:

  1. docker run centos

Para ver as imagens que foram baixadas para o seu computador, digite:

  1. docker images

A saída deve ser semelhante ao seguinte:

[secondary_lable Output]
REPOSITORY          TAG                 IMAGE ID            CREATED             SIZE
centos              latest              778a53015523        5 weeks ago         196.7 MB
hello-world         latest              94df4f0ce8a4        2 weeks ago         967 B

Como você verá mais adiante neste tutorial, as imagens que você usa para executar containers podem ser modificadas e usadas para gerar novas imagens, que podem então ser enviadas (push é o termo técnico) para o Docker Hub ou outros registros Docker.

Passo 5 — Executando um Container Docker

O container hello-world que você executou na etapa anterior é um exemplo de um container que é executado e sai após a emissão de uma mensagem de teste. Os containers, no entanto, podem ser muito mais úteis do que isso e podem ser interativos. Afinal, eles são semelhantes às máquinas virtuais, apenas mais fáceis de usar.

Como um exemplo, vamos rodar um container usando a última imagem do CentOS. A combinação das chaves -i e -t fornece a você o acesso interativo ao shell no container:

  1. docker run -it centos

Seu prompt de comando deve mudar para refletir o fato de que você agora está trabalhando dentro do container e deve assumir esta forma:

Output
[root@59839a1b7de2 /]#

Importante: Observe o ID do container no prompt de comando. No exemplo acima, ele é 59839a1b7de2.

Agora você pode executar qualquer comando dentro do container. Por exemplo, vamos instalar o servidor MariaDB no container em execução. Não há necessidade de prefixar qualquer comando com o sudo, porque você está operando dentro do container com privilégios de root:

  1. yum install mariadb-server

Passo 6 — Fazendo o Commit de Alterações para uma Imagem Docker

Quando você inicia uma imagem Docker, você pode criar, modificar e excluir arquivos da mesma forma que você faz com uma máquina virtual. As alterações que você fizer serão aplicadas apenas a esse container. Você pode iniciá-lo e pará-lo, mas depois de destruí-lo com o comando docker rm, as alterações serão perdidas para sempre.

Esta seção lhe mostra como salvar o estado de um container como uma nova imagem Docker.

Depois de instalar o servidor MariaDB dentro do container CentOS, agora você tem um container executando uma imagem, mas o container é diferente da imagem que você usou para criá-lo.

Para salvar o estado do container como uma nova imagem, primeiro saia dele:

  1. exit

Em seguida, confirme ou faça o commit das alterações em uma nova instância de imagem Docker usando o seguinte comando. A chave -m é para a mensagem de commit que ajuda você e outras pessoas a saber quais alterações você fez, enquanto -a é usado para especificar o autor. O ID do container é aquele que você anotou anteriormente no tutorial quando iniciou a sessão Docker interativa. A menos que você tenha criado repositórios adicionais no Docker Hub, o repositório geralmente é seu nome de usuário do Docker Hub:

  1. docker commit -m "O que você fez na imagem" -a "Nome do autor" container-id repositório/novo_nome_da_imagem

Por exemplo:

  1. docker commit -m "adicionado mariadb-server" -a "Sunday Ogwu-Chinuwa" 59839a1b7de2 finid/centos-mariadb

Nota: Quando você faz o commit de uma imagem, a nova imagem é salva localmente, isto é, no seu computador. Posteriormente neste tutorial, você aprenderá a enviar uma imagem para um registro Docker, como o Docker Hub, para que ela possa ser avaliada e usada por você e por outras pessoas.

Depois que a operação for concluída, listar as imagens Docker agora no seu computador deve mostrar a nova imagem, bem como a antiga da qual ela foi derivada:

  1. docker images

A saída deve ser desse tipo:

Output
REPOSITORY TAG IMAGE ID CREATED SIZE finid/centos-mariadb latest 23390430ec73 6 seconds ago 424.6 MB centos latest 778a53015523 5 weeks ago 196.7 MB hello-world latest 94df4f0ce8a4 2 weeks ago 967 B

No exemplo acima, centos-mariadb é a nova imagem, que foi derivada da imagem CentOS existente do Docker Hub. A diferença de tamanho reflete as alterações que foram feitas. E neste exemplo, a mudança foi que o servidor MariaDB foi instalado. Então, da próxima vez que você precisar executar um container usando o CentOS com o servidor MariaDB pré-instalado, basta usar a nova imagem. As imagens também podem ser construídas a partir do que é chamado de Dockerfile. Mas esse é um processo mais complicado e que está bem fora do escopo deste artigo. Vamos explorar isso em um artigo futuro.

Passo 7 — Listando os Containers Docker

Depois de usar o Docker por um tempo, você terá muitos containers ativos (em execução) e inativos no seu computador. Para ver os ativos, use:

  1. docker ps

Você verá uma saída semelhante à seguinte:

Output
CONTAINER ID IMAGE COMMAND CREATED STATUS PORTS NAMES f7c79cc556dd centos "/bin/bash" 3 hours ago Up 3 hours silly_spence

Para visualizar todos os containers — ativos e inativos, passe a ele a chave -a:

  1. docker ps -a

Para ver o container mais recente que você criou, utilize a opção -l:

  1. docker ps -l

Parar um container em execução ou ativo é tão simples quanto digitar:

  1. docker stop container-id

O container-id pode ser encontrado na saída do comando docker ps.

Passo 8 — Enviando Imagens para um Repositório Docker

A próximo passo lógico depois de criar uma nova imagem a partir de uma imagem existente é compartilhá-la com alguns de seus amigos selecionados, o mundo inteiro no Docker Hub ou outro registro Docker ao qual você tem acesso. Para enviar uma imagem para o Docker Hub ou qualquer outro registro Docker, você deve ter uma conta lá.

Esta seção mostra como enviar uma imagem para o Docker Hub.

Para criar uma conta no Docker Hub, registre-se em Docker Hub. Depois, para enviar sua imagem, primeiro faça o login no Docker Hub. Você será solicitado a se autenticar:

  1. docker login -u usuário_do_registro_docker

Se você especificou a senha correta, a autenticação deve ser bem-sucedida. Então você pode enviar sua própria imagem usando:

  1. docker push usuário_do_registro_docker/nome-da-imagem-docker

Isso levará algum tempo para ser concluído e, quando concluído, a saída será algo assim:

Output
The push refers to a repository [docker.io/finid/centos-mariadb] 670194edfaf5: Pushed 5f70bf18a086: Mounted from library/centos 6a6c96337be1: Mounted from library/centos ...

Depois de enviar uma imagem para um registro, ela deve estar listada no painel da sua conta, como mostra a imagem abaixo.

Docker image listing on Docker Hub

Se uma tentativa de envio resultar em um erro desse tipo, provavelmente você não efetuou login:

Output
The push refers to a repository [docker.io/finid/centos-mariadb] e3fbbfb44187: Preparing 5f70bf18a086: Preparing a3b5c80a4eba: Preparing 7f18b442972b: Preparing 3ce512daaf78: Preparing 7aae4540b42d: Waiting unauthorized: authentication required

Faça o login e repita a tentativa de envio.

Conclusão

Há muito mais no Docker do que foi mostrado neste artigo, mas isso deve ser suficiente para você começar a trabalhar com ele no CentOS 7. Como a maioria dos projetos open source, o Docker é construído a partir de uma base de código em rápido desenvolvimento, portanto, crie o hábito de visitar a página do blog do projeto para as informações mais recentes.

Confira também os outros tutoriais do Docker na Comunidade da DigitalOcean.

If you’ve enjoyed this tutorial and our broader community, consider checking out our DigitalOcean products which can also help you achieve your development goals.

Learn more here


About the authors
Default avatar
finid

author

Developer and author at DigitalOcean.

Default avatar
Tammy Fox

editor

Developer and author at DigitalOcean.

Default avatar
Developer and author at DigitalOcean.

Still looking for an answer?

Was this helpful?
Leave a comment

This textbox defaults to using Markdown to format your answer.

You can type !ref in this text area to quickly search our full set of tutorials, documentation & marketplace offerings and insert the link!