We hope you find this tutorial helpful. In addition to guides like this one, we provide simple cloud infrastructure for developers. Learn more →

Como Construir uma Aplicação Node.js com o Docker

PostedJanuary 11, 2019 4.5k views Docker Node.js Applications Ubuntu 18.04

Introdução

A plataforma Docker permite aos desenvolvedores empacotar e executar aplicações como containers. Um container é um processo isolado que executa em um sistema operacional compartilhado, oferecendo uma alternativa mais leve às máquinas virtuais. Embora os containers não sejam novos, eles oferecem benefícios — incluindo isolamento do processo e padronização do ambiente — que estão crescendo em importância à medida que mais desenvolvedores usam arquiteturas de aplicativos distribuídos.

Ao criar e dimensionar uma aplicação com o Docker, o ponto de partida normalmente é a criação de uma imagem para a sua aplicação, que você pode então, executar em um container. A imagem inclui o código da sua aplicação, bibliotecas, arquivos de configuração, variáveis de ambiente, e runtime. A utilização de uma imagem garante que o ambiente em seu container está padronizado e contém somente o que é necessário para construir e executar sua aplicação.

Neste tutorial, você vai criar uma imagem de aplicação para um website estático que usa o framework Express e o Bootstrap. Em seguida, você criará um container usando essa imagem e a enviará para o Docker Hub para uso futuro. Por fim, você irá baixar a imagem armazenada do repositório do Docker Hub e criará outro container, demonstrando como você pode recriar e escalar sua aplicação.

Pré-requisitos

Para seguir este tutorial, você vai precisar de:

Passo 1 — Instalando as Dependências da Sua Aplicação

Para criar a sua imagem, primeiro você precisará produzir os arquivos de sua aplicação, que você poderá copiar para o seu container. Esses arquivos incluirão o conteúdo estático, o código e as dependências da sua aplicação.

Primeiro, crie um diretório para o seu projeto no diretório home do seu usuário não-root. Vamos chamar o nosso de node_project, mas sinta-se à vontade para substituir isso por qualquer outra coisa:

  • mkdir node_project

Navegue até esse diretório:

  • cd node_project

Esse será o diretório raiz do projeto:

Em seguida, crie um arquivo package.json com as dependências do seu projeto e outras informações de identificação. Abra o arquivo com o nano ou o seu editor favorito:

  • nano package.json

Adicione as seguintes informações sobre o projeto, incluindo seu nome, autor, licença, ponto de entrada e dependências. Certifique-se de substituir as informações do autor pelo seu próprio nome e seus detalhes de contato:

~/node_project/package.json

{
  "name": "nodejs-image-demo",
  "version": "1.0.0",
  "description": "nodejs image demo",
  "author": "Sammy the Shark <sammy@example.com>",
  "license": "MIT",
  "main": "app.js",
  "keywords": [
    "nodejs",
    "bootstrap",
    "express"
  ],
  "dependencies": {
    "express": "^4.16.4"
  }
}

Este arquivo inclui o nome do projeto, autor e a licença sob a qual ele está sendo compartilhado. O npm recomenda manter o nome do seu projeto curto e descritivo, evitando duplicidades no registro npm. Listamos a licença do MIT no campo de licença, permitindo o uso e a distribuição gratuitos do código do aplicativo.

Além disso, o arquivo especifica:

  • "main": O ponto de entrada para a aplicação, app.js. Você criará esse arquivo em seguida.

  • "dependencies": As dependências do projeto — nesse caso, Express 4.16.4 ou acima.

Embora este arquivo não liste um repositório, você pode adicionar um seguindo estas diretrizes em adicionando um repositório ao seu arquivo package.json. Esse é um bom acréscimo se você estiver versionando sua aplicação.

Salve e feche o arquivo quando você terminar de fazer as alterações.

Para instalar as dependências do seu projeto, execute o seguinte comando:

  • npm install

Isso irá instalar os pacotes que você listou em seu arquivo package.json no diretório do seu projeto.

Agora podemos passar para a construção dos arquivos da aplicação.

Passo 2 — Criando os Arquivos da Aplicação

Vamos criar um site que oferece aos usuários informações sobre tubarões. Nossa aplicação terá um ponto de entrada principal, app.js, e um diretório views, que incluirá os recursos estáticos do projeto. A página inicial, index.html, oferecerá aos usuários algumas informações preliminares e um link para uma página com informações mais detalhadas sobre tubarões, sharks.html. No diretório views, vamos criar tanto a página inicial quanto sharks.html.

Primeiro, abra app.js no diretório principal do projeto para definir as rotas do projeto:

  • nano app.js

A primeira parte do arquivo irá criar a aplicação Express e os objetos Router, e definir o diretório base, a porta, e o host como variáveis:

~/node_project/app.js

var express = require("express");
var app = express();
var router = express.Router();

var path = __dirname + '/views/';
const PORT = 8080;
const HOST = '0.0.0.0';

A função require carrega o módulo express, que usamos então para criar os objetos app e router. O objeto router executará a função de roteamento do aplicativo e, como definirmos as rotas do método HTTP, iremos incluí-las nesse objeto para definir como nossa aplicação irá tratar as solicitações.

Esta seção do arquivo também define algumas variáveis, path, PORT, e HOST:

  • path: Define o diretório base, que será o subdiretório views dentro do diretório atual do projeto.

  • HOST: Define o endereço ao qual a aplicação se vinculará e escutará. Configurar isto para 0.0.0.0 ou todos os endereços IPv4 corresponde ao comportamento padrão do Docker de expor os containers para 0.0.0.0, a menos que seja instruído de outra forma.

  • PORT: Diz à aplicação para escutar e se vincular à porta 8080.

Em seguida, defina as rotas para a aplicação usando o objeto router:

~/node_project/app.js

...

router.use(function (req,res,next) {
  console.log("/" + req.method);
  next();
});

router.get("/",function(req,res){
  res.sendFile(path + "index.html");
});

router.get("/sharks",function(req,res){
  res.sendFile(path + "sharks.html");
});

A função router.use carrega uma função de middleware que registrará as solicitações do roteador e as transmitirá para as rotas da aplicação. Estas são definidas nas funções subsequentes, que especificam que uma solicitação GET para a URL base do projeto deve retornar a página index.html, enquanto uma requisição GET para a rota /sharks deve retornar sharks.html.

Finalmente, monte o middleware router e os recursos estáticos da aplicação e diga à aplicação para escutar na porta 8080:

~/node_project/app.js

...

app.use(express.static(path));
app.use("/", router);

app.listen(8080, function () {
  console.log('Example app listening on port 8080!')
})

O arquivo app.js finalizado ficará assim:

~/node_project/app.js

var express = require("express");
var app = express();
var router = express.Router();

var path = __dirname + '/views/';
const PORT = 8080;
const HOST = '0.0.0.0';

router.use(function (req,res,next) {
  console.log("/" + req.method);
  next();
});

router.get("/",function(req,res){
  res.sendFile(path + "index.html");
});

router.get("/sharks",function(req,res){
  res.sendFile(path + "sharks.html");
});

app.use(express.static(path));
app.use("/", router);

app.listen(8080, function () {
  console.log('Example app listening on port 8080!')
})

Salve e feche o arquivo quando tiver terminado.

Em seguida, vamos adicionar algum conteúdo estático à aplicação. Comece criando o diretório views:

  • mkdir views

Abra a página inicial, index.html:

  • nano views/index.html

Adicione o seguinte código ao arquivo, que irá importar o Bootstrap e criar o componente jumbotron com um link para a página de informações mais detalhadas sharks.html

~/node_project/views/index.html

<!DOCTYPE html>
<html lang="en">

<head>
    <title>About Sharks</title>
    <meta charset="utf-8">
    <meta name="viewport" content="width=device-width, initial-scale=1">
    <link rel="stylesheet" href="https://stackpath.bootstrapcdn.com/bootstrap/4.1.3/css/bootstrap.min.css" integrity="sha384-MCw98/SFnGE8fJT3GXwEOngsV7Zt27NXFoaoApmYm81iuXoPkFOJwJ8ERdknLPMO" crossorigin="anonymous">
    <link href="css/styles.css" rel="stylesheet">
    <link href="https://fonts.googleapis.com/css?family=Merriweather:400,700" rel="stylesheet" type="text/css">
</head>

<body>
    <nav class="navbar navbar-dark navbar-static-top navbar-expand-md">
        <div class="container">
            <button type="button" class="navbar-toggler collapsed" data-toggle="collapse" data-target="#bs-example-navbar-collapse-1" aria-expanded="false"> <span class="sr-only">Toggle navigation</span>
            </button> <a class="navbar-brand" href="#">Everything Sharks</a>
            <div class="collapse navbar-collapse" id="bs-example-navbar-collapse-1">
                <ul class="nav navbar-nav mr-auto">
                    <li class="active nav-item"><a href="/" class="nav-link">Home</a>
                    </li>
                    <li class="nav-item"><a href="/sharks" class="nav-link">Sharks</a>
                    </li>
                </ul>
            </div>
        </div>
    </nav>
    <div class="jumbotron">
        <div class="container">
            <h1>Want to Learn About Sharks?</h1>
            <p>Are you ready to learn about sharks?</p>
            <br>
            <p><a class="btn btn-primary btn-lg" href="/sharks" role="button">Get Shark Info</a>
            </p>
        </div>
    </div>
    <div class="container">
        <div class="row">
            <div class="col-lg-6">
                <h3>Not all sharks are alike</h3>
                <p>Though some are dangerous, sharks generally do not attack humans. Out of the 500 species known to researchers, only 30 have been known to attack humans.
                </p>
            </div>
            <div class="col-lg-6">
                <h3>Sharks are ancient</h3>
                <p>There is evidence to suggest that sharks lived up to 400 million years ago.
                </p>
            </div>
        </div>
    </div>
</body>

</html>

A navbar de nível superior aqui, permite que os usuários alternem entre as páginas Home e Sharks. No subcomponente navbar-nav, estamos utilizando a classe active do Bootstrap para indicar a página atual ao usuário. Também especificamos as rotas para nossas páginas estáticas, que correspondem às rotas que definimos em app.js:

~/node_project/views/index.html

...
<div class="collapse navbar-collapse" id="bs-example-navbar-collapse-1">
   <ul class="nav navbar-nav mr-auto">
      <li class="active nav-item"><a href="/" class="nav-link">Home</a>
      </li>
      <li class="nav-item"><a href="/sharks" class="nav-link">Sharks</a>
      </li>
   </ul>
</div>
...

Além disso, criamos um link para nossa página de informações sobre tubarões no botão do nosso jumbotron:

~/node_project/views/index.html

...
<div class="jumbotron">
   <div class="container">
      <h1>Want to Learn About Sharks?</h1>
      <p>Are you ready to learn about sharks?</p>
      <br>
      <p><a class="btn btn-primary btn-lg" href="/sharks" role="button">Get Shark Info</a>
      </p>
   </div>
</div>
...

Há também um link para uma folha de estilo personalizada no cabeçalho:

~/node_project/views/index.html
...
<link href="css/styles.css" rel="stylesheet">
...

Vamos criar esta folha de estilo no final deste passo.

Salve e feche o arquivo quando terminar.

Com a página inicial da aplicação funcionando, podemos criar nossa página de informações sobre tubarões, sharks.html, que oferecerá aos usuários interessados mais informações sobre os tubarões.

Abra o arquivo:

  • nano views/sharks.html

Adicione o seguinte código, que importa o Bootstrap e a folha de estilo personalizada, e oferece aos usuários informações detalhadas sobre determinados tubarões:

~/node_project/views/sharks.html
<!DOCTYPE html>
<html lang="en">

<head>
    <title>About Sharks</title>
    <meta charset="utf-8">
    <meta name="viewport" content="width=device-width, initial-scale=1">
    <link rel="stylesheet" href="https://stackpath.bootstrapcdn.com/bootstrap/4.1.3/css/bootstrap.min.css" integrity="sha384-MCw98/SFnGE8fJT3GXwEOngsV7Zt27NXFoaoApmYm81iuXoPkFOJwJ8ERdknLPMO" crossorigin="anonymous">
    <link href="css/styles.css" rel="stylesheet">
    <link href="https://fonts.googleapis.com/css?family=Merriweather:400,700" rel="stylesheet" type="text/css">
</head>
<nav class="navbar navbar-dark navbar-static-top navbar-expand-md">
    <div class="container">
        <button type="button" class="navbar-toggler collapsed" data-toggle="collapse" data-target="#bs-example-navbar-collapse-1" aria-expanded="false"> <span class="sr-only">Toggle navigation</span>
        </button> <a class="navbar-brand" href="/">Everything Sharks</a>
        <div class="collapse navbar-collapse" id="bs-example-navbar-collapse-1">
            <ul class="nav navbar-nav mr-auto">
                <li class="nav-item"><a href="/" class="nav-link">Home</a>
                </li>
                <li class="active nav-item"><a href="/sharks" class="nav-link">Sharks</a>
                </li>
            </ul>
        </div>
    </div>
</nav>
<div class="jumbotron text-center">
    <h1>Shark Info</h1>
</div>
<div class="container">
    <div class="row">
        <div class="col-lg-6">
            <p>
                <div class="caption">Some sharks are known to be dangerous to humans, though many more are not. The sawshark, for example, is not considered a threat to humans.
                </div>
                <img src="https://assets.digitalocean.com/articles/docker_node_image/sawshark.jpg" alt="Sawshark">
            </p>
        </div>
        <div class="col-lg-6">
            <p>
                <div class="caption">Other sharks are known to be friendly and welcoming!</div>
                <img src="https://assets.digitalocean.com/articles/docker_node_image/sammy.png" alt="Sammy the Shark">
            </p>
        </div>
    </div>
</div>

</html>

Observe que neste arquivo, usamos novamente a classe active para indicar a página atual.

Salve e feche o arquivo quando tiver terminado.

Finalmente, crie a folha de estilo CSS personalizada que você vinculou em index.html e sharks.html criando primeiro uma pasta css no diretório views:

  • mkdir views/css

Abra a folha de estilo:

  • nano views/css/styles.css

Adicione o seguinte código, que irá definir a cor desejada e a fonte para nossas páginas:

~/node_project/views/css/styles.css

.navbar {
    margin-bottom: 0;
    background: #000000;
}

body {
    background: #000000;
    color: #ffffff;
    font-family: 'Merriweather', sans-serif;
}

h1,
h2 {
    font-weight: bold;
}

p {
    font-size: 16px;
    color: #ffffff;
}

.jumbotron {
    background: #0048CD;
    color: white;
    text-align: center;
}

.jumbotron p {
    color: white;
    font-size: 26px;
}

.btn-primary {
    color: #fff;
    text-color: #000000;
    border-color: white;
    margin-bottom: 5px;
}

img,
video,
audio {
    margin-top: 20px;
    max-width: 80%;
}

div.caption: {
    float: left;
    clear: both;
}

Além de definir a fonte e a cor, esse arquivo também limita o tamanho das imagens especificando max-width ou largura máxima de 80%. Isso evitará que ocupem mais espaço do que gostaríamos na página.

Salve e feche o arquivo quando tiver terminado.

Com os arquivos da aplicação no lugar e as dependências do projeto instaladas, você está pronto para iniciar a aplicação.

Se você seguiu o tutorial de configuração inicial do servidor nos pré-requisitos, você terá um firewall ativo que permita apenas o tráfego SSH. Para permitir o tráfego para a porta 8080, execute:

  • sudo ufw allow 8080

Para iniciar a aplicação, certifique-se de que você está no diretório raiz do seu projeto:

  • cd ~/node_project

Inicie sua aplicação com node app.js:

  • node app.js

Dirija seu navegador para http://ip_do_seu_servidor:8080. Você verá a seguinte página inicial:

Clique no botão Get Shark Info. Você verá a seguinte página de informações:

Agora você tem uma aplicação instalada e funcionando. Quando estiver pronto, saia do servidor digitando CTRL + C. Agora podemos passar a criar o Dockerfile que nos permitirá recriar e escalar essa aplicação conforme desejado.

Step 3 — Escrevendo o Dockerfile

Seu Dockerfile especifica o que será incluído no container de sua aplicação quando for executado. A utilização de um Dockerfile permite que você defina seu ambiente de container e evite discrepâncias com dependências ou versões de runtime.

Seguindo estas diretrizes na construção de containers otimizados, vamos tornar nossa imagem o mais eficiente possível, minimizando o número de camadas de imagem e restringindo a função da imagem a uma única finalidade — recriar nossos arquivos da aplicação e o conteúdo estático.

No diretório raiz do seu projeto, crie o Dockerfile:

  • nano Dockerfile

As imagens do Docker são criadas usando uma sucessão de imagens em camadas que são construídas umas sobre as outras. Nosso primeiro passo será adicionar a imagem base para a nossa aplicação que formará o ponto inicial da construção da aplicação.

Vamos utilizar a imagem node:10, uma vez que, no momento da escrita desse tutorial, esta é a versão LTS reomendada do Node.js. Adicione a seguinte instrução FROM para definir a imagem base da aplicação:

~/node_project/Dockerfile
FROM node:10

Esta imagem inclui Node.js e npm. Cada Dockerfile deve começar com uma instrução FROM.

Por padrão, a imagem Node do Docker inclui um usuário não-root node que você pode usar para evitar a execução de seu container de aplicação como root. Esta é uma prática de segurança recomendada para evitar executar containers como root e para restringir recursos dentro do container para apenas aqueles necessários para executar seus processos. Portanto, usaremos o diretório home do usuário node como o diretório de trabalho de nossa aplicação e o definiremos como nosso usuário dentro do container. Para mais informações sobre as melhores práticas ao trabalhar com a imagem Node do Docker, veja este guia de melhores práticas.

Para um ajuste fino das permissões no código da nossa aplicação no container, vamos criar o subdiretório node_modules em /home/node juntamente com o diretório app. A criação desses diretórios garantirá que eles tenham as permissões que desejamos, o que será importante quando criarmos módulos de node locais no container com npm install. Além de criar esses diretórios, definiremos a propriedade deles para o nosso usuário node:

~/node_project/Dockerfile
...
RUN mkdir -p /home/node/app/node_modules && chown -R node:node /home/node/app

Para obter mais informações sobre o utilitário de consolidação das instruções RUN, veja esta discussão sobre como gerenciar camadas de container.

Em seguida, defina o diretório de trabalho da aplicação para /home/node/app:

~/node_project/Dockerfile
...
WORKDIR /home/node/app

Se WORKDIR não estiver definido, o Docker irá criar um por padrão, então é uma boa ideia defini-lo explicitamente.

A seguir, copie os arquivos package.json e package-lock.json (para npm 5+):

~/node_project/Dockerfile
...
COPY package*.json ./

Adicionar esta instrução COPY antes de executar o npm install ou copiar o código da aplicação nos permite aproveitar o mecanismo de armazenamento em cache do Docker. Em cada estágio da compilação ou build, o Docker verificará se há uma camada armazenada em cache para essa instrução específica. Se mudarmos o package.json, esta camada será reconstruída, mas se não o fizermos, esta instrução permitirá ao Docker usar a camada de imagem existente e ignorar a reinstalação dos nossos módulos de node.

Depois de copiar as dependências do projeto, podemos executar npm install:

~/node_project/Dockerfile
...
RUN npm install

Copie o código de sua aplicação para o diretório de trabalho da mesma no container:

~/node_project/Dockerfile
...
COPY . .

Para garantir que os arquivos da aplicação sejam de propriedade do usuário não-root node, copie as permissões do diretório da aplicação para o diretório no container:

~/node_project/Dockerfile
...
COPY --chown=node:node . .

Defina o usuário para node:

~/node_project/Dockerfile
...
USER node

Exponha a porta 8080 no container e inicie a aplicação:

~/node_project/Dockerfile
...
EXPOSE 8080

CMD [ "node", "app.js" ]

EXPOSE não publica a porta, mas funciona como uma maneira de documentar quais portas no container serão publicadas em tempo de execução. CMD executa o comando para iniciar a aplicação - neste caso, node app.js. Observe que deve haver apenas uma instrução CMD em cada Dockerfile. Se você incluir mais de uma, somente a última terá efeito.

Há muitas coisas que você pode fazer com o Dockerfile. Para obter uma lista completa de instruções, consulte a documentação de referência Dockerfile do Docker

O Dockerfile completo estará assim:

~/node_project/Dockerfile

FROM node:10

RUN mkdir -p /home/node/app/node_modules && chown -R node:node /home/node/app

WORKDIR /home/node/app

COPY package*.json ./

RUN npm install

COPY . .

COPY --chown=node:node . .

USER node

EXPOSE 8080

CMD [ "node", "app.js" ]

Salve e feche o arquivo quando terminar a edição.

Antes de construir a imagem da aplicação, vamos adicionar um arquivo .dockerignore. Trabalhando de maneira semelhante a um arquivo .gitignore, .dockerignore especifica quais arquivos e diretórios no diretório do seu projeto não devem ser copiados para o seu container.

Abra o arquivo .dockerignore:

  • nano .dockerignore

Dentro do arquivo, adicione seus módulos de node, logs npm, Dockerfile, e o arquivo .dockerignore:

~/node_project/.dockerignore
node_modules
npm-debug.log
Dockerfile
.dockerignore

Se você estiver trabalhando com o Git, então você também vai querer adicionar o seu diretório .git e seu arquivo .gitignore.

Salve e feche o arquivo quando tiver terminado.

Agora você está pronto para construir a imagem da aplicação usando o comando docker build. Usar a flag -t com o docker build permitirá que você marque a imagem com um nome memorizável. Como vamos enviar a imagem para o Docker Hub, vamos incluir nosso nome de usuário do Docker Hub na tag. Vamos marcar a imagem como nodejs-image-demo, mas sinta-se à vontade para substituir isto por um nome de sua escolha. Lembre-se também de substituir seu_usuário_dockerhub pelo seu nome real de usuário do Docker Hub:

  • docker build -t seu_usuário_dockerhub/nodejs-image-demo .

O . especifica que o contexto do build é o diretório atual.

Levará um ou dois minutos para construir a imagem. Quando estiver concluído, verifique suas imagens:

  • docker images

Você verá a seguinte saída:

Output
REPOSITORY TAG IMAGE ID CREATED SIZE seu_usuário_dockerhub/nodejs-image-demo latest 1c723fb2ef12 8 seconds ago 895MB node 10 f09e7c96b6de 17 hours ago 893MB

É possível criar um container com essa imagem usando docker run. Vamos incluir três flags com esse comando:

  • -p: Isso publica a porta no container e a mapeia para uma porta em nosso host. Usaremos a porta 80 no host, mas sinta-se livre para modificá-la, se necessário, se tiver outro processo em execução nessa porta. Para obter mais informações sobre como isso funciona, consulte esta discussão nos documentos do Docker sobre port binding.

  • -d: Isso executa o container em segundo plano.

  • --name: Isso nos permite dar ao container um nome memorizável.

Execute o seguinte comando para construir o container:

  • docker run --name nodejs-image-demo -p 80:8080 -d seu_usuário_dockerhub/nodejs-image-demo

Depois que seu container estiver em funcionamento, você poderá inspecionar uma lista de containers em execução com docker ps:

  • docker ps

Você verá a seguinte saída:

Output
CONTAINER ID IMAGE COMMAND CREATED STATUS PORTS NAMES e50ad27074a7 seu_usuário_dockerhub/nodejs-image-demo "node app.js" 8 seconds ago Up 7 seconds 0.0.0.0:80->8080/tcp nodejs-image-demo

Com seu container funcionando, você pode visitar a sua aplicação apontando seu navegador para http://ip_do_seu_servidor. Você verá a página inicial da sua aplicação novamente:

Agora que você criou uma imagem para sua aplicação, você pode enviá-la ao Docker Hub para uso futuro.

Passo 4 — Usando um Repositório para Trabalhar com Imagens

Ao enviar sua imagem de aplicação para um registro como o Docker Hub, você a torna disponível para uso subsequente à medida que cria e escala seus containers. Vamos demonstrar como isso funciona, enviando a imagem da aplicação para um repositório e, em seguida, usando a imagem para recriar nosso container.

A primeira etapa para enviar a imagem é efetuar login na conta do Docker Hub que você criou nos pré-requisitos:

  • docker login -u seu_usuário_dockerhub -p senha_do_usuário_dockerhub

Efetuando o login dessa maneira será criado um arquivo ~/.docker/config.json no diretório home do seu usuário com suas credenciais do Docker Hub.

Agora você pode enviar a imagem da aplicação para o Docker Hub usando a tag criada anteriormente, seu_usuário_dockerhub/nodejs-image-demo:

  • docker push seu_usuário_dockerhub/nodejs-image-demo

Vamos testar o utilitário do registro de imagens destruindo nosso container e a imagem de aplicação atual e reconstruindo-os com a imagem em nosso repositório.

Primeiro, liste seus containers em execução:

  • docker ps

Você verá a seguinte saída:

Output
CONTAINER ID IMAGE COMMAND CREATED STATUS PORTS NAMES e50ad27074a7 seu_usuário_dockerhub/nodejs-image-demo "node app.js" 3 minutes ago Up 3 minutes 0.0.0.0:80->8080/tcp nodejs-image-demo

Usando o CONTAINER ID listado em sua saída, pare o container da aplicação em execução. Certifique-se de substituir o ID destacado abaixo por seu próprio CONTAINER ID:

  • docker stop e50ad27074a7

Liste todas as suas imagens com a flag -a:

  • docker images -a

Você verá a seguinte saída com o nome da sua imagem, seuusuáriodockerhub/nodejs-image-demo, juntamente com a imagem node e outras imagens do seu build.

Output
REPOSITORY TAG IMAGE ID CREATED SIZE seu_usuário_dockerhub/nodejs-image-demo latest 1c723fb2ef12 7 minutes ago 895MB <none> <none> e039d1b9a6a0 7 minutes ago 895MB <none> <none> dfa98908c5d1 7 minutes ago 895MB <none> <none> b9a714435a86 7 minutes ago 895MB <none> <none> 51de3ed7e944 7 minutes ago 895MB <none> <none> 5228d6c3b480 7 minutes ago 895MB <none> <none> 833b622e5492 8 minutes ago 893MB <none> <none> 5c47cc4725f1 8 minutes ago 893MB <none> <none> 5386324d89fb 8 minutes ago 893MB <none> <none> 631661025e2d 8 minutes ago 893MB node 10 f09e7c96b6de 17 hours ago 893MB

Remova o container parado e todas as imagens, incluindo imagens não utilizadas ou pendentes, com o seguinte comando:

  • docker system prune -a

Digite y quando solicitado na saída para confirmar que você gostaria de remover o container e as imagens parados. Esteja ciente de que isso também removerá seu cache de compilação.

Agora você removeu o container que está executando a imagem da sua aplicação e a própria imagem. Para obter mais informações sobre como remover containers, imagens e volumes do Docker, consulte How To Remove Docker Images, Containers, and Volumes.

Com todas as suas imagens e containers excluídos, agora você pode baixar a imagem da aplicação do Docker Hub:

  • docker pull seu_usuário_dockerhub/nodejs-image-demo

Liste suas imagens mais uma vez:

  • docker images

Você verá a imagem da sua aplicação:

Output
REPOSITORY TAG IMAGE ID CREATED SIZE seu_usuário_dockerhub/nodejs-image-demo latest 1c723fb2ef12 11 minutes ago 895MB

Agora você pode reconstruir seu container usando o comando do Passo 3:

  • docker run --name nodejs-image-demo -p 80:8080 -d seu_usuário_dockerhub/nodejs-image-demo

Liste seus containers em execução:

docker ps
Output
CONTAINER ID IMAGE COMMAND CREATED STATUS PORTS NAMES f6bc2f50dff6 seu_usuário_dockerhub/nodejs-image-demo "node app.js" 4 seconds ago Up 3 seconds 0.0.0.0:80->8080/tcp nodejs-image-demo

Visite http://ip_do_seu_servidor mais uma vez para ver a sua aplicação em execução.

Conclusão

Neste tutorial, você criou uma aplicação web estática com Express e Bootstrap, bem como uma imagem do Docker para esta aplicação. Você utilizou essa imagem para criar um container e enviou a imagem para o Docker Hub. A partir daí, você conseguiu destruir sua imagem e seu container e recriá-los usando seu repositório do Docker Hub.

Se você estiver interessado em aprender mais sobre como trabalhar com ferramentas como o Docker Compose e o Docker Machine para criar configurações de vários containers, consulte os seguintes guias:

Para dicas gerais sobre como trabalhar com dados de container, consulte:

Se você estiver interessado em outros tópicos relacionados ao Docker, consulte nossa biblioteca completa de tutoriais do Docker.

Por Kathleen Juell

0 Comments

Creative Commons License