// Tutorial //

Como Construir uma Aplicação Node.js com o Docker

Published on January 11, 2019
Default avatar
By Kathleen Juell
Developer and author at DigitalOcean.
Português
Como Construir uma Aplicação Node.js com o Docker

Introdução

A plataforma Docker permite aos desenvolvedores empacotar e executar aplicações como containers. Um container é um processo isolado que executa em um sistema operacional compartilhado, oferecendo uma alternativa mais leve às máquinas virtuais. Embora os containers não sejam novos, eles oferecem benefícios — incluindo isolamento do processo e padronização do ambiente — que estão crescendo em importância à medida que mais desenvolvedores usam arquiteturas de aplicativos distribuídos.

Ao criar e dimensionar uma aplicação com o Docker, o ponto de partida normalmente é a criação de uma imagem para a sua aplicação, que você pode então, executar em um container. A imagem inclui o código da sua aplicação, bibliotecas, arquivos de configuração, variáveis de ambiente, e runtime. A utilização de uma imagem garante que o ambiente em seu container está padronizado e contém somente o que é necessário para construir e executar sua aplicação.

Neste tutorial, você vai criar uma imagem de aplicação para um website estático que usa o framework Express e o Bootstrap. Em seguida, você criará um container usando essa imagem e a enviará para o Docker Hub para uso futuro. Por fim, você irá baixar a imagem armazenada do repositório do Docker Hub e criará outro container, demonstrando como você pode recriar e escalar sua aplicação.

Pré-requisitos

Para seguir este tutorial, você vai precisar de:

Passo 1 — Instalando as Dependências da Sua Aplicação

Para criar a sua imagem, primeiro você precisará produzir os arquivos de sua aplicação, que você poderá copiar para o seu container. Esses arquivos incluirão o conteúdo estático, o código e as dependências da sua aplicação.

Primeiro, crie um diretório para o seu projeto no diretório home do seu usuário não-root. Vamos chamar o nosso de node_project, mas sinta-se à vontade para substituir isso por qualquer outra coisa:

  1. mkdir node_project

Navegue até esse diretório:

  1. cd node_project

Esse será o diretório raiz do projeto:

Em seguida, crie um arquivo package.json com as dependências do seu projeto e outras informações de identificação. Abra o arquivo com o nano ou o seu editor favorito:

  1. nano package.json

Adicione as seguintes informações sobre o projeto, incluindo seu nome, autor, licença, ponto de entrada e dependências. Certifique-se de substituir as informações do autor pelo seu próprio nome e seus detalhes de contato:

~/node_project/package.json

{
  "name": "nodejs-image-demo",
  "version": "1.0.0",
  "description": "nodejs image demo",
  "author": "Sammy the Shark <sammy@example.com>",
  "license": "MIT",
  "main": "app.js",
  "keywords": [
    "nodejs",
    "bootstrap",
    "express"
  ],
  "dependencies": {
    "express": "^4.16.4"
  }
}

Este arquivo inclui o nome do projeto, autor e a licença sob a qual ele está sendo compartilhado. O npm recomenda manter o nome do seu projeto curto e descritivo, evitando duplicidades no registro npm. Listamos a licença do MIT no campo de licença, permitindo o uso e a distribuição gratuitos do código do aplicativo.

Além disso, o arquivo especifica:

  • "main": O ponto de entrada para a aplicação, app.js. Você criará esse arquivo em seguida.

  • "dependencies": As dependências do projeto — nesse caso, Express 4.16.4 ou acima.

Embora este arquivo não liste um repositório, você pode adicionar um seguindo estas diretrizes em adicionando um repositório ao seu arquivo package.json. Esse é um bom acréscimo se você estiver versionando sua aplicação.

Salve e feche o arquivo quando você terminar de fazer as alterações.

Para instalar as dependências do seu projeto, execute o seguinte comando:

  1. npm install

Isso irá instalar os pacotes que você listou em seu arquivo package.json no diretório do seu projeto.

Agora podemos passar para a construção dos arquivos da aplicação.

Passo 2 — Criando os Arquivos da Aplicação

Vamos criar um site que oferece aos usuários informações sobre tubarões. Nossa aplicação terá um ponto de entrada principal, app.js, e um diretório views, que incluirá os recursos estáticos do projeto. A página inicial, index.html, oferecerá aos usuários algumas informações preliminares e um link para uma página com informações mais detalhadas sobre tubarões, sharks.html. No diretório views, vamos criar tanto a página inicial quanto sharks.html.

Primeiro, abra app.js no diretório principal do projeto para definir as rotas do projeto:

  1. nano app.js

A primeira parte do arquivo irá criar a aplicação Express e os objetos Router, e definir o diretório base, a porta, e o host como variáveis:

~/node_project/app.js

var express = require("express");
var app = express();
var router = express.Router();

var path = __dirname + '/views/';
const PORT = 8080;
const HOST = '0.0.0.0';

A função require carrega o módulo express, que usamos então para criar os objetos app e router. O objeto router executará a função de roteamento do aplicativo e, como definirmos as rotas do método HTTP, iremos incluí-las nesse objeto para definir como nossa aplicação irá tratar as solicitações.

Esta seção do arquivo também define algumas variáveis, path, PORT, e HOST:

  • path: Define o diretório base, que será o subdiretório views dentro do diretório atual do projeto.

  • HOST: Define o endereço ao qual a aplicação se vinculará e escutará. Configurar isto para 0.0.0.0 ou todos os endereços IPv4 corresponde ao comportamento padrão do Docker de expor os containers para 0.0.0.0, a menos que seja instruído de outra forma.

  • PORT: Diz à aplicação para escutar e se vincular à porta 8080.

Em seguida, defina as rotas para a aplicação usando o objeto router:

~/node_project/app.js

...

router.use(function (req,res,next) {
  console.log("/" + req.method);
  next();
});

router.get("/",function(req,res){
  res.sendFile(path + "index.html");
});

router.get("/sharks",function(req,res){
  res.sendFile(path + "sharks.html");
});

A função router.use carrega uma função de middleware que registrará as solicitações do roteador e as transmitirá para as rotas da aplicação. Estas são definidas nas funções subsequentes, que especificam que uma solicitação GET para a URL base do projeto deve retornar a página index.html, enquanto uma requisição GET para a rota /sharks deve retornar sharks.html.

Finalmente, monte o middleware router e os recursos estáticos da aplicação e diga à aplicação para escutar na porta 8080:

~/node_project/app.js

...

app.use(express.static(path));
app.use("/", router);

app.listen(8080, function () {
  console.log('Example app listening on port 8080!')
})

O arquivo app.js finalizado ficará assim:

~/node_project/app.js

var express = require("express");
var app = express();
var router = express.Router();

var path = __dirname + '/views/';
const PORT = 8080;
const HOST = '0.0.0.0';

router.use(function (req,res,next) {
  console.log("/" + req.method);
  next();
});

router.get("/",function(req,res){
  res.sendFile(path + "index.html");
});

router.get("/sharks",function(req,res){
  res.sendFile(path + "sharks.html");
});

app.use(express.static(path));
app.use("/", router);

app.listen(8080, function () {
  console.log('Example app listening on port 8080!')
})

Salve e feche o arquivo quando tiver terminado.

Em seguida, vamos adicionar algum conteúdo estático à aplicação. Comece criando o diretório views:

  1. mkdir views

Abra a página inicial, index.html:

  1. nano views/index.html

Adicione o seguinte código ao arquivo, que irá importar o Bootstrap e criar o componente jumbotron com um link para a página de informações mais detalhadas sharks.html

~/node_project/views/index.html

<!DOCTYPE html>
<html lang="en">

<head>
    <title>About Sharks</title>
    <meta charset="utf-8">
    <meta name="viewport" content="width=device-width, initial-scale=1">
    <link rel="stylesheet" href="https://stackpath.bootstrapcdn.com/bootstrap/4.1.3/css/bootstrap.min.css" integrity="sha384-MCw98/SFnGE8fJT3GXwEOngsV7Zt27NXFoaoApmYm81iuXoPkFOJwJ8ERdknLPMO" crossorigin="anonymous">
    <link href="css/styles.css" rel="stylesheet">
    <link href="https://fonts.googleapis.com/css?family=Merriweather:400,700" rel="stylesheet" type="text/css">
</head>

<body>
    <nav class="navbar navbar-dark navbar-static-top navbar-expand-md">
        <div class="container">
            <button type="button" class="navbar-toggler collapsed" data-toggle="collapse" data-target="#bs-example-navbar-collapse-1" aria-expanded="false"> <span class="sr-only">Toggle navigation</span>
            </button> <a class="navbar-brand" href="#">Everything Sharks</a>
            <div class="collapse navbar-collapse" id="bs-example-navbar-collapse-1">
                <ul class="nav navbar-nav mr-auto">
                    <li class="active nav-item"><a href="/" class="nav-link">Home</a>
                    </li>
                    <li class="nav-item"><a href="/sharks" class="nav-link">Sharks</a>
                    </li>
                </ul>
            </div>
        </div>
    </nav>
    <div class="jumbotron">
        <div class="container">
            <h1>Want to Learn About Sharks?</h1>
            <p>Are you ready to learn about sharks?</p>
            <br>
            <p><a class="btn btn-primary btn-lg" href="/sharks" role="button">Get Shark Info</a>
            </p>
        </div>
    </div>
    <div class="container">
        <div class="row">
            <div class="col-lg-6">
                <h3>Not all sharks are alike</h3>
                <p>Though some are dangerous, sharks generally do not attack humans. Out of the 500 species known to researchers, only 30 have been known to attack humans.
                </p>
            </div>
            <div class="col-lg-6">
                <h3>Sharks are ancient</h3>
                <p>There is evidence to suggest that sharks lived up to 400 million years ago.
                </p>
            </div>
        </div>
    </div>
</body>

</html>

A navbar de nível superior aqui, permite que os usuários alternem entre as páginas Home e Sharks. No subcomponente navbar-nav, estamos utilizando a classe active do Bootstrap para indicar a página atual ao usuário. Também especificamos as rotas para nossas páginas estáticas, que correspondem às rotas que definimos em app.js:

~/node_project/views/index.html

...
<div class="collapse navbar-collapse" id="bs-example-navbar-collapse-1">
   <ul class="nav navbar-nav mr-auto">
      <li class="active nav-item"><a href="/" class="nav-link">Home</a>
      </li>
      <li class="nav-item"><a href="/sharks" class="nav-link">Sharks</a>
      </li>
   </ul>
</div>
...

Além disso, criamos um link para nossa página de informações sobre tubarões no botão do nosso jumbotron:

~/node_project/views/index.html

...
<div class="jumbotron">
   <div class="container">
      <h1>Want to Learn About Sharks?</h1>
      <p>Are you ready to learn about sharks?</p>
      <br>
      <p><a class="btn btn-primary btn-lg" href="/sharks" role="button">Get Shark Info</a>
      </p>
   </div>
</div>
...

Há também um link para uma folha de estilo personalizada no cabeçalho:

~/node_project/views/index.html
...
<link href="css/styles.css" rel="stylesheet">
...

Vamos criar esta folha de estilo no final deste passo.

Salve e feche o arquivo quando terminar.

Com a página inicial da aplicação funcionando, podemos criar nossa página de informações sobre tubarões, sharks.html, que oferecerá aos usuários interessados mais informações sobre os tubarões.

Abra o arquivo:

  1. nano views/sharks.html

Adicione o seguinte código, que importa o Bootstrap e a folha de estilo personalizada, e oferece aos usuários informações detalhadas sobre determinados tubarões:

~/node_project/views/sharks.html
<!DOCTYPE html>
<html lang="en">

<head>
    <title>About Sharks</title>
    <meta charset="utf-8">
    <meta name="viewport" content="width=device-width, initial-scale=1">
    <link rel="stylesheet" href="https://stackpath.bootstrapcdn.com/bootstrap/4.1.3/css/bootstrap.min.css" integrity="sha384-MCw98/SFnGE8fJT3GXwEOngsV7Zt27NXFoaoApmYm81iuXoPkFOJwJ8ERdknLPMO" crossorigin="anonymous">
    <link href="css/styles.css" rel="stylesheet">
    <link href="https://fonts.googleapis.com/css?family=Merriweather:400,700" rel="stylesheet" type="text/css">
</head>
<nav class="navbar navbar-dark navbar-static-top navbar-expand-md">
    <div class="container">
        <button type="button" class="navbar-toggler collapsed" data-toggle="collapse" data-target="#bs-example-navbar-collapse-1" aria-expanded="false"> <span class="sr-only">Toggle navigation</span>
        </button> <a class="navbar-brand" href="/">Everything Sharks</a>
        <div class="collapse navbar-collapse" id="bs-example-navbar-collapse-1">
            <ul class="nav navbar-nav mr-auto">
                <li class="nav-item"><a href="/" class="nav-link">Home</a>
                </li>
                <li class="active nav-item"><a href="/sharks" class="nav-link">Sharks</a>
                </li>
            </ul>
        </div>
    </div>
</nav>
<div class="jumbotron text-center">
    <h1>Shark Info</h1>
</div>
<div class="container">
    <div class="row">
        <div class="col-lg-6">
            <p>
                <div class="caption">Some sharks are known to be dangerous to humans, though many more are not. The sawshark, for example, is not considered a threat to humans.
                </div>
                <img src="https://assets.digitalocean.com/articles/docker_node_image/sawshark.jpg" alt="Sawshark">
            </p>
        </div>
        <div class="col-lg-6">
            <p>
                <div class="caption">Other sharks are known to be friendly and welcoming!</div>
                <img src="https://assets.digitalocean.com/articles/docker_node_image/sammy.png" alt="Sammy the Shark">
            </p>
        </div>
    </div>
</div>

</html>

Observe que neste arquivo, usamos novamente a classe active para indicar a página atual.

Salve e feche o arquivo quando tiver terminado.

Finalmente, crie a folha de estilo CSS personalizada que você vinculou em index.html e sharks.html criando primeiro uma pasta css no diretório views:

  1. mkdir views/css

Abra a folha de estilo:

  1. nano views/css/styles.css

Adicione o seguinte código, que irá definir a cor desejada e a fonte para nossas páginas:

~/node_project/views/css/styles.css

.navbar {
    margin-bottom: 0;
    background: #000000;
}

body {
    background: #000000;
    color: #ffffff;
    font-family: 'Merriweather', sans-serif;
}

h1,
h2 {
    font-weight: bold;
}

p {
    font-size: 16px;
    color: #ffffff;
}

.jumbotron {
    background: #0048CD;
    color: white;
    text-align: center;
}

.jumbotron p {
    color: white;
    font-size: 26px;
}

.btn-primary {
    color: #fff;
    text-color: #000000;
    border-color: white;
    margin-bottom: 5px;
}

img,
video,
audio {
    margin-top: 20px;
    max-width: 80%;
}

div.caption: {
    float: left;
    clear: both;
}

Além de definir a fonte e a cor, esse arquivo também limita o tamanho das imagens especificando max-width ou largura máxima de 80%. Isso evitará que ocupem mais espaço do que gostaríamos na página.

Salve e feche o arquivo quando tiver terminado.

Com os arquivos da aplicação no lugar e as dependências do projeto instaladas, você está pronto para iniciar a aplicação.

Se você seguiu o tutorial de configuração inicial do servidor nos pré-requisitos, você terá um firewall ativo que permita apenas o tráfego SSH. Para permitir o tráfego para a porta 8080, execute:

  1. sudo ufw allow 8080

Para iniciar a aplicação, certifique-se de que você está no diretório raiz do seu projeto:

  1. cd ~/node_project

Inicie sua aplicação com node app.js:

  1. node app.js

Dirija seu navegador para http://ip_do_seu_servidor:8080. Você verá a seguinte página inicial:

Clique no botão Get Shark Info. Você verá a seguinte página de informações:

Agora você tem uma aplicação instalada e funcionando. Quando estiver pronto, saia do servidor digitando CTRL + C. Agora podemos passar a criar o Dockerfile que nos permitirá recriar e escalar essa aplicação conforme desejado.

Step 3 — Escrevendo o Dockerfile

Seu Dockerfile especifica o que será incluído no container de sua aplicação quando for executado. A utilização de um Dockerfile permite que você defina seu ambiente de container e evite discrepâncias com dependências ou versões de runtime.

Seguindo estas diretrizes na construção de containers otimizados, vamos tornar nossa imagem o mais eficiente possível, minimizando o número de camadas de imagem e restringindo a função da imagem a uma única finalidade — recriar nossos arquivos da aplicação e o conteúdo estático.

No diretório raiz do seu projeto, crie o Dockerfile:

  1. nano Dockerfile

As imagens do Docker são criadas usando uma sucessão de imagens em camadas que são construídas umas sobre as outras. Nosso primeiro passo será adicionar a imagem base para a nossa aplicação que formará o ponto inicial da construção da aplicação.

Vamos utilizar a imagem node:10, uma vez que, no momento da escrita desse tutorial, esta é a versão LTS reomendada do Node.js. Adicione a seguinte instrução FROM para definir a imagem base da aplicação:

~/node_project/Dockerfile
FROM node:10

Esta imagem inclui Node.js e npm. Cada Dockerfile deve começar com uma instrução FROM.

Por padrão, a imagem Node do Docker inclui um usuário não-root node que você pode usar para evitar a execução de seu container de aplicação como root. Esta é uma prática de segurança recomendada para evitar executar containers como root e para restringir recursos dentro do container para apenas aqueles necessários para executar seus processos. Portanto, usaremos o diretório home do usuário node como o diretório de trabalho de nossa aplicação e o definiremos como nosso usuário dentro do container. Para mais informações sobre as melhores práticas ao trabalhar com a imagem Node do Docker, veja este guia de melhores práticas.

Para um ajuste fino das permissões no código da nossa aplicação no container, vamos criar o subdiretório node_modules em /home/node juntamente com o diretório app. A criação desses diretórios garantirá que eles tenham as permissões que desejamos, o que será importante quando criarmos módulos de node locais no container com npm install. Além de criar esses diretórios, definiremos a propriedade deles para o nosso usuário node:

~/node_project/Dockerfile
...
RUN mkdir -p /home/node/app/node_modules && chown -R node:node /home/node/app

Para obter mais informações sobre o utilitário de consolidação das instruções RUN, veja esta discussão sobre como gerenciar camadas de container.

Em seguida, defina o diretório de trabalho da aplicação para /home/node/app:

~/node_project/Dockerfile
...
WORKDIR /home/node/app

Se WORKDIR não estiver definido, o Docker irá criar um por padrão, então é uma boa ideia defini-lo explicitamente.

A seguir, copie os arquivos package.json e package-lock.json (para npm 5+):

~/node_project/Dockerfile
...
COPY package*.json ./

Adicionar esta instrução COPY antes de executar o npm install ou copiar o código da aplicação nos permite aproveitar o mecanismo de armazenamento em cache do Docker. Em cada estágio da compilação ou build, o Docker verificará se há uma camada armazenada em cache para essa instrução específica. Se mudarmos o package.json, esta camada será reconstruída, mas se não o fizermos, esta instrução permitirá ao Docker usar a camada de imagem existente e ignorar a reinstalação dos nossos módulos de node.

Depois de copiar as dependências do projeto, podemos executar npm install:

~/node_project/Dockerfile
...
RUN npm install

Copie o código de sua aplicação para o diretório de trabalho da mesma no container:

~/node_project/Dockerfile
...
COPY . .

Para garantir que os arquivos da aplicação sejam de propriedade do usuário não-root node, copie as permissões do diretório da aplicação para o diretório no container:

~/node_project/Dockerfile
...
COPY --chown=node:node . .

Defina o usuário para node:

~/node_project/Dockerfile
...
USER node

Exponha a porta 8080 no container e inicie a aplicação:

~/node_project/Dockerfile
...
EXPOSE 8080

CMD [ "node", "app.js" ]

EXPOSE não publica a porta, mas funciona como uma maneira de documentar quais portas no container serão publicadas em tempo de execução. CMD executa o comando para iniciar a aplicação - neste caso, node app.js. Observe que deve haver apenas uma instrução CMD em cada Dockerfile. Se você incluir mais de uma, somente a última terá efeito.

Há muitas coisas que você pode fazer com o Dockerfile. Para obter uma lista completa de instruções, consulte a documentação de referência Dockerfile do Docker

O Dockerfile completo estará assim:

~/node_project/Dockerfile

FROM node:10

RUN mkdir -p /home/node/app/node_modules && chown -R node:node /home/node/app

WORKDIR /home/node/app

COPY package*.json ./

RUN npm install

COPY . .

COPY --chown=node:node . .

USER node

EXPOSE 8080

CMD [ "node", "app.js" ]

Salve e feche o arquivo quando terminar a edição.

Antes de construir a imagem da aplicação, vamos adicionar um arquivo .dockerignore. Trabalhando de maneira semelhante a um arquivo .gitignore, .dockerignore especifica quais arquivos e diretórios no diretório do seu projeto não devem ser copiados para o seu container.

Abra o arquivo .dockerignore:

  1. nano .dockerignore

Dentro do arquivo, adicione seus módulos de node, logs npm, Dockerfile, e o arquivo .dockerignore:

~/node_project/.dockerignore
node_modules
npm-debug.log
Dockerfile
.dockerignore

Se você estiver trabalhando com o Git, então você também vai querer adicionar o seu diretório .git e seu arquivo .gitignore.

Salve e feche o arquivo quando tiver terminado.

Agora você está pronto para construir a imagem da aplicação usando o comando docker build. Usar a flag -t com o docker build permitirá que você marque a imagem com um nome memorizável. Como vamos enviar a imagem para o Docker Hub, vamos incluir nosso nome de usuário do Docker Hub na tag. Vamos marcar a imagem como nodejs-image-demo, mas sinta-se à vontade para substituir isto por um nome de sua escolha. Lembre-se também de substituir seu_usuário_dockerhub pelo seu nome real de usuário do Docker Hub:

  1. docker build -t seu_usuário_dockerhub/nodejs-image-demo .

O . especifica que o contexto do build é o diretório atual.

Levará um ou dois minutos para construir a imagem. Quando estiver concluído, verifique suas imagens:

  1. docker images

Você verá a seguinte saída:

Output
REPOSITORY TAG IMAGE ID CREATED SIZE seu_usuário_dockerhub/nodejs-image-demo latest 1c723fb2ef12 8 seconds ago 895MB node 10 f09e7c96b6de 17 hours ago 893MB

É possível criar um container com essa imagem usando docker run. Vamos incluir três flags com esse comando:

  • -p: Isso publica a porta no container e a mapeia para uma porta em nosso host. Usaremos a porta 80 no host, mas sinta-se livre para modificá-la, se necessário, se tiver outro processo em execução nessa porta. Para obter mais informações sobre como isso funciona, consulte esta discussão nos documentos do Docker sobre port binding.

  • -d: Isso executa o container em segundo plano.

  • --name: Isso nos permite dar ao container um nome memorizável.

Execute o seguinte comando para construir o container:

  1. docker run --name nodejs-image-demo -p 80:8080 -d seu_usuário_dockerhub/nodejs-image-demo

Depois que seu container estiver em funcionamento, você poderá inspecionar uma lista de containers em execução com docker ps:

  1. docker ps

Você verá a seguinte saída:

Output
CONTAINER ID IMAGE COMMAND CREATED STATUS PORTS NAMES e50ad27074a7 seu_usuário_dockerhub/nodejs-image-demo "node app.js" 8 seconds ago Up 7 seconds 0.0.0.0:80->8080/tcp nodejs-image-demo

Com seu container funcionando, você pode visitar a sua aplicação apontando seu navegador para http://ip_do_seu_servidor. Você verá a página inicial da sua aplicação novamente:

Agora que você criou uma imagem para sua aplicação, você pode enviá-la ao Docker Hub para uso futuro.

Passo 4 — Usando um Repositório para Trabalhar com Imagens

Ao enviar sua imagem de aplicação para um registro como o Docker Hub, você a torna disponível para uso subsequente à medida que cria e escala seus containers. Vamos demonstrar como isso funciona, enviando a imagem da aplicação para um repositório e, em seguida, usando a imagem para recriar nosso container.

A primeira etapa para enviar a imagem é efetuar login na conta do Docker Hub que você criou nos pré-requisitos:

  1. docker login -u seu_usuário_dockerhub -p senha_do_usuário_dockerhub

Efetuando o login dessa maneira será criado um arquivo ~/.docker/config.json no diretório home do seu usuário com suas credenciais do Docker Hub.

Agora você pode enviar a imagem da aplicação para o Docker Hub usando a tag criada anteriormente, seu_usuário_dockerhub/nodejs-image-demo:

  1. docker push seu_usuário_dockerhub/nodejs-image-demo

Vamos testar o utilitário do registro de imagens destruindo nosso container e a imagem de aplicação atual e reconstruindo-os com a imagem em nosso repositório.

Primeiro, liste seus containers em execução:

  1. docker ps

Você verá a seguinte saída:

Output
CONTAINER ID IMAGE COMMAND CREATED STATUS PORTS NAMES e50ad27074a7 seu_usuário_dockerhub/nodejs-image-demo "node app.js" 3 minutes ago Up 3 minutes 0.0.0.0:80->8080/tcp nodejs-image-demo

Usando o CONTAINER ID listado em sua saída, pare o container da aplicação em execução. Certifique-se de substituir o ID destacado abaixo por seu próprio CONTAINER ID:

  1. docker stop e50ad27074a7

Liste todas as suas imagens com a flag -a:

  1. docker images -a

Você verá a seguinte saída com o nome da sua imagem, seu_usuário_dockerhub/nodejs-image-demo, juntamente com a imagem node e outras imagens do seu build.

Output
REPOSITORY TAG IMAGE ID CREATED SIZE seu_usuário_dockerhub/nodejs-image-demo latest 1c723fb2ef12 7 minutes ago 895MB <none> <none> e039d1b9a6a0 7 minutes ago 895MB <none> <none> dfa98908c5d1 7 minutes ago 895MB <none> <none> b9a714435a86 7 minutes ago 895MB <none> <none> 51de3ed7e944 7 minutes ago 895MB <none> <none> 5228d6c3b480 7 minutes ago 895MB <none> <none> 833b622e5492 8 minutes ago 893MB <none> <none> 5c47cc4725f1 8 minutes ago 893MB <none> <none> 5386324d89fb 8 minutes ago 893MB <none> <none> 631661025e2d 8 minutes ago 893MB node 10 f09e7c96b6de 17 hours ago 893MB

Remova o container parado e todas as imagens, incluindo imagens não utilizadas ou pendentes, com o seguinte comando:

  1. docker system prune -a

Digite y quando solicitado na saída para confirmar que você gostaria de remover o container e as imagens parados. Esteja ciente de que isso também removerá seu cache de compilação.

Agora você removeu o container que está executando a imagem da sua aplicação e a própria imagem. Para obter mais informações sobre como remover containers, imagens e volumes do Docker, consulte How To Remove Docker Images, Containers, and Volumes.

Com todas as suas imagens e containers excluídos, agora você pode baixar a imagem da aplicação do Docker Hub:

  1. docker pull seu_usuário_dockerhub/nodejs-image-demo

Liste suas imagens mais uma vez:

  1. docker images

Você verá a imagem da sua aplicação:

Output
REPOSITORY TAG IMAGE ID CREATED SIZE seu_usuário_dockerhub/nodejs-image-demo latest 1c723fb2ef12 11 minutes ago 895MB

Agora você pode reconstruir seu container usando o comando do Passo 3:

  1. docker run --name nodejs-image-demo -p 80:8080 -d seu_usuário_dockerhub/nodejs-image-demo

Liste seus containers em execução:

docker ps
Output
CONTAINER ID IMAGE COMMAND CREATED STATUS PORTS NAMES f6bc2f50dff6 seu_usuário_dockerhub/nodejs-image-demo "node app.js" 4 seconds ago Up 3 seconds 0.0.0.0:80->8080/tcp nodejs-image-demo

Visite http://ip_do_seu_servidor mais uma vez para ver a sua aplicação em execução.

Conclusão

Neste tutorial, você criou uma aplicação web estática com Express e Bootstrap, bem como uma imagem do Docker para esta aplicação. Você utilizou essa imagem para criar um container e enviou a imagem para o Docker Hub. A partir daí, você conseguiu destruir sua imagem e seu container e recriá-los usando seu repositório do Docker Hub.

Se você estiver interessado em aprender mais sobre como trabalhar com ferramentas como o Docker Compose e o Docker Machine para criar configurações de vários containers, consulte os seguintes guias:

Para dicas gerais sobre como trabalhar com dados de container, consulte:

Se você estiver interessado em outros tópicos relacionados ao Docker, consulte nossa biblioteca completa de tutoriais do Docker.

Por Kathleen Juell


Want to learn more? Join the DigitalOcean Community!

Join our DigitalOcean community of over a million developers for free! Get help and share knowledge in our Questions & Answers section, find tutorials and tools that will help you grow as a developer and scale your project or business, and subscribe to topics of interest.

Sign up
About the authors
Default avatar
Developer and author at DigitalOcean.

Default avatar
Developer and author at DigitalOcean.

Still looking for an answer?

Was this helpful?
Leave a comment

This textbox defaults to using Markdown to format your answer.

You can type !ref in this text area to quickly search our full set of tutorials, documentation & marketplace offerings and insert the link!