Introdução

O WordPress é um sistema de gerenciamento de conteúdo (CMS) de código aberto. Considerado como o CMS mais popular no mundo, o WordPress permite que você configure os blogs e sites num back-end de banco de dados do MySQL, usando a linguagem PHP para executar scripts e processar conteúdo dinâmico.

O OpenLiteSpeed é um servidor Web otimizado de código aberto que você pode usar para gerenciar e atender sites. O OpenLiteSpeed tem algumas funcionalidades úteis que o tornam uma escolha consistente para muitas instalações: regras de regravação compatíveis com o Apache, uma interface de administração integrada - baseada em Web - e processamento em PHP personalizado - otimizado para o servidor.

Neste guia, você irá guiá-lo no passo a passo do processo de instalação e configuração de uma instância do WordPress no Ubuntu 18.04, usando o servidor Web OpenLiteSpeed. Como o WordPress e o OpenLiteSpeed podem ser gerenciados através de um navegador Web, essa configuração é ideal para os que não têm acesso regular a uma sessão via SSH ou aqueles que podem não se sentir à vontade com o gerenciamento de um servidor Web através da linha de comando.

Pré-requisitos

Antes de iniciar este guia, você precisará do seguinte:

Passo 1 — Criando um banco de dados e um usuário do banco de dados para o WordPress

O WordPress utiliza o MySQL para gerenciar e armazenar as informações do site e as do usuário. Você já tem o MySQL instalado; porém, como um passo preparatório, você precisa criar um banco de dados e um usuário para que o WordPress use.

Para começar, conecte-se ao seu servidor usando o SSH:

  • ssh sammy@your_server_IP

Depois, faça o login na conta *raiz *do MySQL:

  • sudo mysql

Nota: se você completou o Passo 3 do tutorial com os pré-requisitos para o MySQL e configurou seu usuário root do MySQL para se autenticar com o plug-in mysql_native_password, você precisará fazer o login com o seguinte comando:

  • mysql -u root -p

Depois, quando for solicitado, digite a senha do usuário root.

A partir do prompt do MySQL, crie um banco de dados com o comando a seguir. Aqui, vamos nomear esse banco de dados de wordpress para manter as coisas simples, mas você pode dar o nome que quiser:

  • CREATE DATABASE wordpress DEFAULT CHARACTER SET utf8 COLLATE utf8_unicode_ci;

Na sequência, crie um usuário e lhe conceda privilégios sobre o banco de dados que acabou de criar. Novamente, você pode dar qualquer nome a esse usuário, mas em prol da simplicidade, vamos dar a ele o nome de wordpressuser. Certifique-se de mudar a password por uma senha forte da sua escolha:

  • GRANT ALL PRIVILEGES ON wordpress.* TO 'wordpressuser'@'localhost' IDENTIFIED BY 'password';

Então, execute o comando FLUSH o qual diz para o servidor recarregar as tabelas de permissões e colocar as suas alterações em vigor:

  • FLUSH PRIVILEGES;

Em seguida, você pode fechar o prompt do MySQL:

  • exit

Você terminou de configurar sua instalação do MySQL para trabalhar com o WordPress. Em seguida, vamos instalar algumas extensões da linguagem PHP.

Passo 2 — Instalando extensões adicionais do PHP

No tutorial com os pré-requisitos para o OpenLiteSpeed, você instalou o pacote lsphp73. Esta é uma compilação de PHP otimizada para o OpenLiteSpeed, o qual usa a Interface de Programação de Aplicativos para servidores (SAPI) LiteSpeed para se comunicar com aplicativos externos. Dependendo das suas necessidades, o WordPress pode precisar de outras extensões de PHP específicas para funcionar como desejado.

Para instalar algumas extensões PHP que são comumente usadas com o WordPress, execute o seguinte comando:

  • sudo apt install lsphp73-common lsphp73-curl lsphp73-imagick lsphp73-imap lsphp73-json lsphp73-memcached lsphp73-mysql lsphp73-opcache lsphp73-redis

Nota: os pacotes neste comando podem não abranger todos os casos de uso. Para obter uma lista completa das extensões da PHP 7.3 disponíveis no repositório do LiteSpeed - que você adicionou ao seu servidor no tutorial com os pré-requisitos, consulte a Wiki do LiteSpeed.

Em seguida, você pode prosseguir com o download e a configuração do WordPress no seu servidor.

Passo 3 — Fazendo o download do WordPress

Agora que o software do seu servidor está configurado, você pode instalar e configurar o WordPress. Por motivos de segurança, é sempre recomendável obter a versão mais recente do WordPress diretamente do site deles.

Mude para um diretório em que você possa gravar e, em seguida, baixe a versão comprimida do arquivo, digitando:

  • cd /tmp
  • curl -O https://wordpress.org/latest.tar.gz

Extraia o arquivo comprimido para criar a estrutura de diretórios do WordPress:

  • tar xzvf latest.tar.gz

Vamos mover esses arquivos para o nosso diretório base momentaneamente, mas primeiro vamos criar alguns arquivos e diretórios dos quais a instalação do WordPress dependerá.

O OpenLiteSpeed oferece suporte aos arquivos .htaccess. Isso é importante para nossos objetivos, pois o WordPress usa os arquivos .htaccess para criar e gerenciar permalinks.

Adicione um arquivo .htaccess fictício, de modo que ele esteja disponível para que o WordPress use mais tarde:

  • touch /tmp/wordpress/.htaccess

Em seguida, copie o exemplo de arquivo de configuração para o nome do arquivo, de modo que, na prática, o WordPress leia o seguinte:

  • cp /tmp/wordpress/wp-config-sample.php /tmp/wordpress/wp-config.php

Além disso, crie o diretório de upgrade, para que o WordPress não se depare com questões de permissão ao tentar fazer isso sozinho após uma atualização em seu software:

  • mkdir /tmp/wordpress/wp-content/upgrade

Então, copie o conteúdo inteiro do diretório para o seu diretório base. O OpenLiteSpeed vem com um host virtual padrão chamado Example, localizado no diretório /usr/local/lsws/. O diretório base do host virtual Example é o subdiretório do html:

  • sudo cp -a /tmp/wordpress/. /usr/local/lsws/Example/html/wordpress

Note que esse comando inclui um ponto no final do diretório fonte para indicar que tudo dentro do diretório deve ser copiado, incluindo arquivos ocultos (como o arquivo .htaccess que criamos):

Com isso, você instalou o WordPress com sucesso no seu servidor Web e executou algumas das etapas inicias de configuração. Em seguida, vamos examinar algumas outras alterações na configuração que darão ao WordPress os privilégios que ele precisa para funcionar com segurança e para acessar o banco de dados do MySQL e a conta de usuário que você criou anteriormente.

Passo 4 — Configurando o diretório do WordPress

Antes de podermos examinar o processo de configuração do WordPress baseado na Web, precisamos ajustar alguns itens em nosso diretório do WordPress.

Comece dando a propriedade de todos os arquivos no diretório ao usuário nobody e ao grupo nogroup, que o servidor Web OpenLiteSpeed executa como padrão. O comando chown a seguir irá conceder ao OpenLiteSpeed a capacidade de ler e gravar arquivos no diretório wordpress, permitindo que ele sirva o site e execute atualizações automáticas:

  • sudo chown -R nobody:nogroup /usr/local/lsws/Example/html/wordpress

Em seguida, execute dois comandos find para definir as permissões corretas sobre os diretórios e arquivos do WordPress:

  • sudo find /usr/local/lsws/Example/html/wordpress/ -type d -exec chmod 750 {} \;
  • sudo find /usr/local/lsws/Example/html/wordpress/ -type f -exec chmod 640 {} \;

A princípio, elas devem consistir em um conjunto razoável de permissões, embora alguns plug-ins e procedimentos possam precisar de ajustes adicionais.

Em seguida, será necessário fazer algumas alterações no arquivo de configuração principal do WordPress.

Quando abrir o arquivo, seu primeiro objetivo será ajustar algumas chaves secretas para adicionar alguma segurança à sua instalação. O WordPress oferece um gerador seguro para esses valores para que você não tenha que tentar inventar bons valores por conta própria. Esses valores somente são usados internamente, de modo que ter valores seguros e complexos aqui não atrapalha a usabilidade.

Para pegar valores seguros do gerador de chaves secretas do WordPress, digite:

  • curl -s https://api.wordpress.org/secret-key/1.1/salt/

Você receberá valores únicos que se parecem com estes:

Aviso! É importante que você solicite sempre valores únicos. NÃO copie os valores mostrados abaixo!

Output
define('AUTH_KEY', '1jl/vqfs<XhdXoAPz9 DO NOT COPY THESE VALUES c_j{iwqD^<+c9.k<J@4H'); define('SECURE_AUTH_KEY', 'E2N-h2]Dcvp+aS/p7X DO NOT COPY THESE VALUES {Ka(f;rv?Pxf})CgLi-3'); define('LOGGED_IN_KEY', 'W(50,{W^,OPB%PB<JF DO NOT COPY THESE VALUES 2;y&,2m%3]R6DUth[;88'); define('NONCE_KEY', 'll,4UC)7ua+8<!4VM+ DO NOT COPY THESE VALUES #`DXF+[$atzM7 o^-C7g'); define('AUTH_SALT', 'koMrurzOA+|L_lG}kf DO NOT COPY THESE VALUES 07VC*Lj*lD&?3w!BT#-'); define('SECURE_AUTH_SALT', 'p32*p,]z%LZ+pAu:VY DO NOT COPY THESE VALUES C-?y+K0DK_+F|0h{!_xY'); define('LOGGED_IN_SALT', 'i^/G2W7!-1H2OQ+t$3 DO NOT COPY THESE VALUES t6**bRVFSD[Hi])-qS`|'); define('NONCE_SALT', 'Q6]U:K?j4L%Z]}h^q7 DO NOT COPY THESE VALUES 1% ^qUswWgn+6&xqHN&%');

Tratam-se de linhas de configuração que você colará diretamente no seu arquivo de configuração para definir chaves seguras. Copie o resultado que recebeu na sua área de transferência e, em seguida, abra o arquivo de configuração do WordPress localizado no seu diretório base:

  • sudo nano /usr/local/lsws/Example/html/wordpress/wp-config.php

Encontre a seção que contém os valores fictícios para essas configurações. Eles se parecerão com isso:

/var/www/wordpress/wp-config.php
. . .

define('AUTH_KEY',         'put your unique phrase here');
define('SECURE_AUTH_KEY',  'put your unique phrase here');
define('LOGGED_IN_KEY',    'put your unique phrase here');
define('NONCE_KEY',        'put your unique phrase here');
define('AUTH_SALT',        'put your unique phrase here');
define('SECURE_AUTH_SALT', 'put your unique phrase here');
define('LOGGED_IN_SALT',   'put your unique phrase here');
define('NONCE_SALT',       'put your unique phrase here');

. . .

Exclua essas linhas e cole os valores que copiou da linha de comando:

/var/www/wordpress/wp-config.php
. . .

define('AUTH_KEY',         'VALUES COPIED FROM THE COMMAND LINE');
define('SECURE_AUTH_KEY',  'VALUES COPIED FROM THE COMMAND LINE');
define('LOGGED_IN_KEY',    'VALUES COPIED FROM THE COMMAND LINE');
define('NONCE_KEY',        'VALUES COPIED FROM THE COMMAND LINE');
define('AUTH_SALT',        'VALUES COPIED FROM THE COMMAND LINE');
define('SECURE_AUTH_SALT', 'VALUES COPIED FROM THE COMMAND LINE');
define('LOGGED_IN_SALT',   'VALUES COPIED FROM THE COMMAND LINE');
define('NONCE_SALT',       'VALUES COPIED FROM THE COMMAND LINE');

. . .

Em seguida, modifique as configurações de conexão do banco de dados no topo do arquivo. Você precisa ajustar o nome do banco de dados, o usuário do banco de dados e a senha associada que configurou no MySQL.

A outra mudança que precisa fazer é definir o método que o WordPress deve usar para gravar no sistema de arquivos. Uma vez que demos permissão ao servidor Web para gravar onde ele precisar, podemos definir explicitamente o método do sistema de arquivos como direct (direto). Deixar de definir esse método de acesso - usando nossas configurações atuais, levaria o WordPress a solicitar credenciais FTP quando você realizasse certas ações.

Esta configuração pode ser adicionada abaixo das configurações de conexão do banco de dados ou em qualquer outro lugar no arquivo:

/var/www/wordpress/wp-config.php
. . .

define('DB_NAME', 'wordpress');

/** MySQL database username */
define('DB_USER', 'wordpressuser');

/** MySQL database password */
define('DB_PASSWORD', 'password');

. . .

define('FS_METHOD', 'direct');

Salve e feche o arquivo quando você terminar.

Neste ponto, o WordPress não está totalmente configurado no seu sistema, uma vez que você ainda precisa dar alguns toques finais antes de começar a publicar conteúdo. Para tanto, porém, primeiro você precisará fazer algumas alterações de configuração em sua instalação do OpenLiteSpeed.

Passo 6 — Configurando o OpenLiteSpeed

No momento, você tem o WordPress instalado em seu servidor Ubuntu, porém, sua instalação OpenLiteSpeed ainda não foi configurada para servi-lo. Neste passo, vamos acessar a interface administrativa do OpenLiteSpeed e fazer algumas alterações na configuração do seu servidor.

No seu navegador Web de preferência, navegue até a interface administrativa do OpenLiteSpeed. Você pode encontrá-la digitando o endereço IP público do seu servidor ou o nome de domínio associado a ele, seguido de :7080, na barra de endereço do seu navegador:

https://server_domain_or_IP:7080

Lá, será mostrada uma tela de login. Digite o nome de usuário e a senha que você definiu no tutorial com os pré-requisitos para a instalação do OpenLiteSpeed:

Tela de login do OpenLiteSpeed

A partir do console do OpenLiteSpeed, encontre e clique em Server Configuration (Configuração do Servidor), no menu localizado na barra lateral, à esquerda. Depois, navegue até a guia External App (Aplicativo Externo), encontre a linha do LiteSpeed SAPI App e clique em seu botão Edit (Editar):

Página de configuração do servidor

Lembre-se que, no tutorial com os pré-requisitos do OpenLiteSpeed, você instalou o pacote lsphp73, uma compilação da linguagem PHP otimizada para trabalhar com o OpenLiteSpeed através da SAPI para o LiteSpeed. No entanto, as configurações padrão na página de External App apontam para lsphp e não para lsphp73. Por conta disso, sua instalação do OpenLiteSpeed não poderá executar corretamente os scripts em PHP.

Para corrigir isso, altere o campo Name para lsphp73, altere o campo Address para uds://tmp/lshttpd/lsphp73.sock e altere o campo Command para ler $SERVER_ROOT/lsphp73/bin/lsphp:

Alterações em App Externos

Após fazer essas alterações, clique no ícone Salvar, no canto superior direito da caixa do App SAPI para LiteSpeed.

Em seguida, clique em Hosts Virtuais, no menu à esquerda. Na página de Hosts virtuais, encontre o host virtual que você planeja usar e clique no seu ícone Exibir. Aqui, usaremos o host virtual padrão Example:

Página dos hosts virtuais

Navegue até a guia** Geral** do host virtual. Ali, encontre a seção Geral e clique no seu botão Editar:

Guia Geral dos hostos Virtuais

O OpenLiteSpeed analisa o conteúdo do campo Diretório Base para obter o conteúdo a atender. Como todo o seu conteúdo e arquivos do WordPress são armazenados no diretório wordpress que você criou mais cedo, atualize o campo Diretório Base para apontar para aquele diretório. Para fazer isso, tudo o que precisa fazer é adicionar wordpress/ ao final do valor padrão:

Alterações Gerais aos Hosts Virtuais

Clique no ícone Save para salvar essa mudança.

Em seguida, será necessário habilitar os arquivos index.php para que eles possam ser usados para processar pedidos que não sejam tratados por arquivos estáticos. Isso permitirá que a lógica principal do WordPress funcione corretamente.

Enquanto ainda estiver na guia Geral, role para baixo até encontrar a seção Arquivos do Índice e clique em seu ícone Editar:

Página de Arquivo do Índice dos hosts virtuais

No campo Arquivos de índice, antes de index.html, adicione o index.php,. Ao colocar o index.php antes do index.html, você está permitindo que os arquivos de índice de PHP tenham precedência. Após atualizar esse campo, ele ficará parecido com isto:

Alterações no índice de arquivos dos hosts virtuais

Certifique-se de clicar no ícone Salvar antes de continuar.

Em seguida, navegue até a guia de Regravação do host virtual. Encontre a seção Controle de regravação e pressione o botão para Editar:

Página de Regravação dos hosts virtuais

Defina ambas as opções para Habilitar Regravação e Autocarregamento do .htaccess como Yes, clicando nos respectivos botões laterais. Configurar as instruções de regravação desta maneira permitirá que você utilize os permalinks em sua instalação do WordPress:

Alterações na regravação dos hosts virtuais

Clique no ícone Salvar após fazer essas alterações.

O host virtual padrão que vem com a instalação do OpenLiteSpeed inclui algumas áreas protegidas por senha para demonstrar os recursos de autenticação de usuário do OpenLiteSpeed. O WordPress inclui seus próprios mecanismos de autenticação e não usaremos a autenticação baseada em arquivos, incluída no OpenLiteSpeed. Devemos livrar-nos disso para minimizar os fragmentos de configuração perdidos, ativos em nossa instalação do WordPress.

Primeiro, clique na guia de Segurança e, em seguida, clique no botão Excluir, ao lado de SampleProtectedArea, na tabela de Lista de Realms (Domínios):

Lista de Realms de segurança do OpenLiteSpeed

Será solicitado que você confirme a exclusão. Clique em Excluir para prosseguir.

Em seguida, clique na guia de Contexto. Na Lista de Contexto, exclua o contexto /protected/, que foi associado ao realm de segurança que você acabou de excluir:

Contexto do OpenLiteSpeed protegido contra exclusão

Novamente, você terá que confirmar a exclusão, clicando em Excluir.

Você também pode excluir qualquer um ou todos os outros contextos com segurança usando a mesma técnica, já que não precisaremos deles. Excluímos especificamente o contexto /protected/ pois, caso contrário, um erro seria produzido devido à exclusão do seu realm de segurança associado (o qual acabamos de remover na guia Segurança).

Em seguida, pressione o ícone verde Reinicialização Elegante, no canto superior direito do console do OpenLiteSpeed. Isso irá reiniciar o servidor do OpenLiteSpeed, fazendo com que as alterações que você fez entrem em vigor:

Localização do ícone Reinicialização Elegante

Com isso, seu servidor do OpenLiteSpeed está totalmente configurado. Você está pronto para terminar de configurar o WordPress no seu navegador.

Passo 7 — Concluindo a instalação através da interface do WordPress

Agora que a configuração do servidor está completa, podemos concluir a instalação através da interface com a Web.

No seu navegador Web, navegue até o nome de domínio do seu servidor ou endereço IP público:

http://server_domain_or_IP

Selecione o idioma que deseja usar:

Seleção de idioma do WordPress

Em seguida, você chegará à página de configuração principal. Selecione um nome para seu site do WordPress e escolha um nome de usuário (É recomendável não escolher algo como “admin” por motivos de segurança). Uma senha forte será gerada automaticamente. Salve essa senha ou selecione uma senha forte alternativa.

Digite seu endereço de e-mail e selecione se deseja impedir que mecanismos de pesquisa façam a indexação do seu site:

Instalação do WordPress

Quando estiver pronto, clique no botão Instalar WordPress. Você será levado a uma página que solicita que você faça login:

Prompt de login do WordPress

Assim que fizer login, será levado para o painel de administração do WordPress:

Prompt de login do WordPress

A partir do painel, você pode começar a fazer alterações no tema do seu site e publicar conteúdo.

Conclusão

Ao concluir este este guia, você instalou e configurou uma instância do WordPress em um servidor Ubuntu 18.04 que executa o OpenLiteSpeed. Alguns dos passos comuns na sequência serão: escolher a configuração dos permalinks dos seus posts (que podem ser encontrados em Configurações > Permalinks) ou selecionar um novo tema (em Aparência > Temas). Se esta é a primeira vez que usa o WordPress, explore a interface um pouco para se familiarizar com o seu novo CMS.

Para melhorar a segurança do seu novo site do WordPress, recomendamos que o configure para funcionar com SSL, de modo que ele possa servir conteúdo por HTTPS. Verifique este tutorial na documentação do OpenLiteSpeed para instalar o LetsEncrypt e configurar isso.

0 Comments

Creative Commons License